• Telefone

    (16) 3253-6700

  • E-mail

    bioma@bioma.eng.br

Projetos

Home » Serviços » Projetos

» Projeto de Automação Industrial

» Sistema de Supervisão Industrial;

» Telas de Supervisório;

» Telas de interface homem-máquina;

» Desenvolvimento de Diagramas Lógicos;

» Desenvolvimento de Sistema Scada (Ladder);

» Fluxograma de Engenharia;

  • Alimentação Água Bruta

    Alimentação Água Bruta

  • UF-130 – Filtração Água Bruta

    UF-130 – Filtração Água Bruta

  • Água Semi Tratada

    Água Semi Tratada

  • Filtro de Carvão Ativado

    Filtro de Carvão Ativado

  • Recuperação Água

    Recuperação Água

  • Ilha de Químicos

    Ilha de Químicos

  • OR-550 – Osmose Reversa

    Osmose Reversa

  • Rain Maker

    Rain Maker

» Diagrama Unifilar

» Levantamento dos circuitos para elaboração / atualização do Diagrama Unifilar, com os devidos apontamentos de potência, tensão, condutores, dispositivos de proteção / seccionamento, esquemas de aterramento e nomeação dos circuitos;

» Atualizar a as vias impressas disponíveis junto ao painel de energia, mantendo a do último levantamento, e referenciando sempre o responsável e vistoriador pelas informações;

» Atendimento ao item 10.2.3 da NR-10

  • Diagrama Unifilar

    Diagrama Unifilar

» Sinalização de Segurança

» Instalação da sinalização de segurança para todos os quadros de distribuição das instalações elétricas, bem como a identificação dos circuitos de cada quadro.

» Projetos luminotécnicos outdoor e indoor

» O projeto luminotécnico envolve os conceitos de Conforto Luminoso, enfoque fisiológico da definição de conforto ambienta;

» Objetivos da iluminação, suas funções, boas condições de visão associada a visibilidade, segurança e orientação dentro de um determinado ambiente, a utilização da luz como principal instrumento de ambientação do espaço;

» Sistemas de iluminação, iluminação geral, iluminação localizada, iluminação de tarefa, luz de destaque, luz de efeito, luz arquitetônica, modulação de intensidade;

» Conceitos fotométricos, as grandezas fundamentais para o entendimento dos conceitos da luminotécnica: A radiação solar e a luz, luz e cores, potência instalada, eficiência energética, nível de iluminância, intensidade luminosa, luminância, índice de reprodução de cor, temperatura de cor;

» Critérios diversos para aplicação da iluminação são adotados, como distribuição das luminárias, cálculo de controle, cálculo de iluminação dirigida, dimensionamento do grau de abertura do facho luminoso, avaliação do consumo energético, avaliação de custos, e pay-back;

» Todos os projetos são auxiliados por software computacional dedicado para este fim, licenciado, com resultados gráficos que facilitam a visualização do projeto.

  • Projetos luminotécnicos outdoor e indoor

    Projetos luminotécnicos
    outdoor e indoor

  • Projetos luminotécnicos outdoor e indoor

    Projetos luminotécnicos
    outdoor e indoor

  • Projetos luminotécnicos outdoor e indoor

    Projetos luminotécnicos
    outdoor e indoor

» Projetos Técnicos Cabine Primária

» Projetos técnico de cabine de medição, proteção e transformação e aprovação na concessionária de energia elétrica;

» Projeto comercial:

» Dimensionamento e preenchimento de documentação de opção tarifária;

» Cálculo de demanda contratada;

» Simulação tarifária;

» Estudo de Pay Back do investimento;

» Acompanhamento do processo no setor comercial da concessionária.

» Projeto Técnico:

» Desenho Situação (planta baixa);

» Memorial Descritivo e de cálculo;

» Detalhes construtivos;

» Levantamento de carga;

» ART de projeto.

» Projeto Proteção:

» Solicitação de Curva de ajuste da proteção da concessionária de energia elétrica;

» Cálculo para ajuste da proteção da rede a montante em função das cargas e capacidade de transformação;

» Estudos com as funções ANSI 50/51, 50/51N e 51GS;

» Representação gráfica as curvas de ajuste, indicando tempo x corrente de atuação em cada função;

» Memorial Descritivo e de Cálculo;

» Elaboração da curva de proteção;

» ART de Projeto;

» Dimensionamento dos ajustes do Relê de Proteção;

» Dimensionamento dos TC’s (transformadores de corrente).

» RISE - Elaboração do Relatório de Impacto no Setor Elétrico, e acompanhamento junto a concessionária de energia elétrica para as etapas:

» Acompanhamento da emissão da Licença de Instalação – LI;

» Acompanhamento da emissão da Licença Precária de Operação – LPO;

» Acompanhamento da emissão da Licença de Operação – LO;

» ART.

» Projeto de alimentação em Média Tensão:

» Dimensionamento dos condutores primário;

» Cálculo da QTP (Queda de Tensão Proposta) primária;

» Dimensionamento e definição do centro de carga;

» Cálculo dos condutores e QTP secundário até os referidos QGBTs;

» Dimensionamento do dispositivo de proteção geral em BT.

  • Projetos Técnicos Cabine Primária

    Projetos Técnicos Cabine Primária

» Projetos Técnicos de Posto de Transformação

» Projetos técnicos de posto de transformação em poste singelo ou plataforma em até 300KVA e acompanhamento do processo junto à concessionária;

» Projeto comercial:

» Dimensionamento e preenchimento de documentação de opção tarifária;

» Cálculo de demanda contratada;

» Simulação tarifária;

» Estudo de Pay Back do investimento;

» Acompanhamento do processo no setor comercial da concessionária.

» Projeto Técnico:

» Desenho Situação (planta baixa);

» Memorial Descritivo e de cálculo;

» Detalhes construtivos;

» Levantamento de carga;

» ART de projeto.

  • Projetos Técnicos de Posto de Transformação

    Projetos Técnicos de Posto de Transformação

  • Projetos Técnicos de Posto de Transformação

    Projetos Técnicos de Posto de Transformação

» Projeto Completo de SPDA e aterramento funcional

»Levantamento das condições das instalações existentes:

» Dimensões das edificações existentes;

» Avaliação das dimensões com as plantas fornecidas pelo contratante;

» Incluir as edificações novas na planta fornecida que estiver desatualizada;

» Identificação das condições construtivas de cada edificação da empresa onde será instalado o SPDA;

» Identificação e avaliação nas condições de Subsistema Captor das coberturas de cada estrutura onde será instalado o SPDA;

» Vistoria Técnica das condições atuais do SPDA de cada edificação onde será instalado o SPDA;

» Elaboração de Laudo Técnico de Vistoria de Engenharia conclusivo das conformidades do SPDA, seguindo os padrões do IBAPE, apontando:

» Indicação da não conformidade com registro fotográfico;

» Apontamento do item relacionado na Norma Técnica;

» Classificação da Criticidade: Critico Regular ou Mínimo;

» Classificação da Anomalia e/ou Falha;

» Recomendação Técnica para solução das não conformidades apontadas;

» Prazo para execução das Recomendações Técnicas.

» Estratificação do Solo:

» Execução das medições para determinação das resistividades dos solos e sua estratificação;

» Metodologia adotada: Wener de quatro hastes igualmente espaçadas, ou outro método desde que previamente aprovado pelo Contratante;

» A determinação do número de camadas, de suas resistividades e profundidades será elaborado utilizando software computacional específico, sendo no mínimo quatro camadas de resistividade;

» Serão executados três ensaios em, pelo menos, três lugares distintos da empresa.

» Projeto do SPDA:

» Projeto Técnico e Executivo do SPDA;

» Memorial de Cálculo para definição das dimensões e materiais empregados;

» Planta em escala com os equipamentos projetados e definições dos materiais;

» Detalhamento de fixações, soldas, terminações dos componentes;

» Projeção do volume protegido em cortes;

» Métodos aplicados: Gaiola de Faraday, Franklin, Eletrogeométrico;

» Lista de materiais de cada edificação separada por subsistema: captor, descida, aterramento e equipotencialização;

» Cada edificação terá o nível de proteção determinado conforme Anexo B da NBR-5419, com memorial de cálculo e desenhos especificados para cada uma delas;

» O projeto da malha de aterramento usará como base as condições construtivas da edificação bem como a estratificação do solo, prevendo que a resistência elétrica de cada prédio seja menor ou igual a 10 ohms. Caso algum ponto não seja previsto tal impedância, a mesma será justificada. Os cálculos serão realizados com auxiliio de software computacional, utilizando preferencialmente o arranjo B da NBR-5419, caso impedido de tal arranjo, será previsto o arranjo tipo A.

» O aterramento será previsto com eletrodos horizontais tipo cabo de Cu nu #50mm² associada com eletrodos verticais tipo haste cobreada 254µCu;

» As estruturas que tiverem total ou parcial subsistema do SPDA serão consideradas e aproveitadas, na medida do possível.

» Aterramento Funcional:

» Dimensões das edificações existentes;

» Avaliação das dimensões com as plantas fornecidas pelo contratante;

» Alocação dos motores elétricos em planta baixa;

» Encaminhamento possível dos cabos de equipotencialização do sistema de aterramento, com dimensão da infraestrutura necessária;

» Elaboração de Laudo Técnico de Vistoria de Engenharia conclusivo das conformidades do Aterramento Funcional, verificando a existência de condutores de aterramento PE ou PEN, malha de aterramento nas subestações, equipotencialização das partes metálicas não energizadas, o laudo seguirá os padrões do IBAPE, apontando:

» Indicação da não conformidade com registro fotográfico;

» Apontamento do item relacionado na Norma Técnica;

» Classificação da Criticidade: Critico Regular ou Mínimo;

» Classificação da Anomalia e/ou Falha;

» Recomendação Técnica para solução das não conformidades apontadas;

» Prazo para execução das Recomendações Técnicas;

» Lista de materiais necessários para realização da obra;

» Medição da resistência de aterramento do SPDA existente:

» Seccionamento dos subsistemas de descidas existentes;

» Medição da resistência de aterramento com a malha isolada (se possível);

» Laudo da medição da resistência de aterramento;

» Método aplicado: Queda de Potencial;

» Documentações Técnicas fornecidas:

» Laudo Técnico de Vistoria de Engenharia do SPDA;

» Laudo Técnico de Vistoria de Engenharia do Aterramento Funcional;

» Laudo Técnico de Medição de Resistência de Aterramento das malhas existentes;

» Estudo de estratificação de solo;

» Projeto Técnico e Executivo do SPDA, contendo subsistema Captor, Descida e Aterramento;

» Projeto Técnico do Aterramento Funcional;

» Memoriais Descritivos e de cálculo do SPDA;

» Memorial Descritivo e de cálculo do Aterramento Funcional;

» Lista de materiais do SPDA, separada por edificação;

» Lista de materiais do aterramento funcional;

» Cronograma físico para elaboração das atividades técnicas contratadas;

» ART – Anotação de Responsabilidade Técnica;

» Cronograma físico previsto para execução do SPDA e Aterramento Funcional;

» Elaboração de cartilha de segurança e técnicas de aplicação dos materiais para execução do SPDA.

» Todos os arquivos serão entregues de forma impressa e Digital em mídia não editável (*.pdf) e editável (*.doc, xls e *.dwg).

  • Projeto Completo de SPDA e aterramento funcional

    Projeto Completo de SPDA e aterramento funcional

» Estratificação de Solo

» Execução das medições para determinação das resistividades dos solos e sua estratificação;

» Metodologia adotada: Wener de quatro hastes igualmente espaçadas, ou outro método desde que previamente aprovado pelo Contratante;

» A determinação do número de camadas, de suas resistividades e profundidades será elaborada utilizando software computacional específico, sendo no mínimo quatro camadas de resistividade;

» Serão executados três ensaios em, pelo menos, três lugares distintos da empresa.

» Projetos Elétrico de Loteamentos

» Projeto de toda rede de distribuição primária em média tensão;

» Projeto da rede de baixa tensão, com dimensionamento dos condutores, quedas de tensão, potências por trecho;

» Detalhamento de todo equipamento das estruturas primária e secundária;

» Cálculo de esforços mecânico dos postes;

» Protocolos junto ás concessionárias de energia elétrica.

  • Projetos Elétrico de Loteamentos

    Projetos Elétrico de Loteamentos

» Projetos Técnicos em edifícios de uso Coletivo

» Projeto das instalações elétricas da entrada de energia elétrica em BT para edifício de uso coletivo com demanda em até 300KVA, acompanhamento junto a concessionária de energia elétrica;

» Determinação do ramal de serviço, dispositivos de proteção, barramentos, DPS – Dispositivo de Proteção contra Surtos, proteção contra contatos diretos (NR-10), Diagramas Unifilares e trifilares, BEP – Barramento de Equipotencialização Principal, desenhos de implantação e executivos.

  • Medição Agrupada

    Medição Agrupada

» Projeto de instalações elétricas prediais

» Dimensionamento dos circuitos;

» Determinação dos condutores;

» Dimensionamento da proteção;

» Projeto das prumadas, com detalhamento construtivo e esquemas de ligação, se necessário;

» Projeto técnico e detalhes construtivos;

» Diagramas unifilares e trifilares;

» Memoriais descritivos e de cálculo;

» Lista de materiais e cronograma de execução.

  • Projeto de Instalações Elétricas Prediais

    Projeto de Instalações Elétricas Prediais

» Projeto de distribuição de TV

» Distribuição e alimentação da rede de TV a cabo;

» Distribuição e alimentação da rede de TV comum;

» Dimensionamento dos atenuadores e amplificadores de sinal;

» Projeto técnico e detalhes construtivos;

» Memorial descritivo e de cálculo;

» Lista de materiais e cronograma de execução.

  • Projeto de Distribuição de TV

    Projeto de Distribuição de TV

» Projeto de Circuito Fechado de TV e Alarme

» 3.13.1. Definição dos sistemas a serem utilizados;

» Protocolos de comunicação dos equipamentos;

» Dimensionamento da infraestrutura em todos os níveis de comunicação;

» Programação dos DVRs, servidores, aparelhos móveis ou outros sistemas necessários;

» Definição dos equipamentos com detalhamento de suas tecnologias.

  • Projeto de Circuito Fechado de TV e Alarme

    Projeto de Circuito Fechado de TV e Alarme

» Plano de manutenção Preventiva

» Levantamento das máquinas e equipamentos elétricos instalados nas dependências do contratante;

» Levantamento das necessidades de manutenção preventiva, informadas pelos fabricantes;

» Classificação das necessidades de manutenção preventiva em função de sua ordem de prioridade;

» Montagem de cronograma físico da manutenção;

» Conferência periódica dos serviços executados;

» Elaboração de relatório periódico dos serviços executados, confrontando com os apontados pelo cronograma.

» Parecer técnico para novos equipamentos

» Conferência das características elétricas dos equipamentos propostos, tais como tensão, potências, frequências, etc.;

» Compatibilização com as condições elétricas dos circuitos existentes no local, caso impedido tecnicamente da instalação, apresentação de Relatório Técnico com as possíveis soluções;

» Análise do consumo do equipamento e relatório de custo x benefício entre os demais equipamentos propostos pelo contratante;.

» Projeto de Sistemas de Combate a Incêndios

» Sistema de prevenção e combate a Incêndio;

» Laudo do Material de Acabamento e Revestimento;

» Projeto de Sinalização de Emergência;

» Projeto de Iluminação de Emergência;

» Projeto de Saída de Emergência e Rota de Fuga.

  • Projeto de Sistemas de Combate a Incêndios

    Projeto de Sistemas de Combate a Incêndios

» Projeto de Sistemas de Iluminação de Emergência e Alarme de Incêndio

» Atendendo as legislações da Policia Militar de cada estado, com as definições dos pontos de iluminação de emergência, os sistemas utilizados, podendo variar de blocos autônomos à centrais devidamente equipadas;

» Dimensionamento da infraestrutura, resistente ao fogo por horas, conforme legislações estaduais;

» Cálculo dos condutores e dimensionamento dos materiais.

  • Projeto de Sistemas de Iluminação de Emergência e Alarme de Incêndio

    Projeto de Sistemas de Iluminação de Emergência e Alarme de Incêndio